Vale a pena viajar à Disney?

Viajar a Orlando é o sonho de muitas pessoas – mas bastante gente ainda tem dúvida: será que meu perfil combina com a cidade?

Esse é um texto pessoal para uma pergunta muito pessoal – e extremamente ampla: vale a pena ir à Disney? (e eu assumo aqui que, quando diz “ir à Disney”, a pessoa se refere a “ir a Orlando”, já que dificilmente alguém visita exclusivamente o Walt Disney World quando vai à cidade, certo?) Bastante gente me pergunta isso, e é fácil entender por quê: Orlando é um dos destinos turísticos mais desejados do mundo, e mais populares entre os turistas brasileiros (é sério: latino-americanos, especialmente brasileiros, comparecem em peso por lá, em qualquer época do ano), então a viagem acaba ganhando status de “obrigatória” – e quem não é assim tão fã de Disney (ou de Harry Potter, ou de montanhas-russas, ou de parques temáticos de modo geral) fica se perguntando se, afinal, o destino vale mesmo todo o investimento. E até quem é fã pode ficar em dúvida: okay, eu cresci assistindo e amando os filmes da Disney, mas eu não estou meio crescidinho para viajar tudo isso para conhecer “só” um parque temático?

Photo by Gui Avelar on Unsplash

Eu mesma fazia parte desse time: apesar de ser fã desde criança dos filmes e personagens da Disney, e de ter me apaixonado por Harry Potter desde que li o primeiro livro, quando tinha uns onze anos de idade, eu não tinha esse sonho de viajar a Orlando – só decidi ir quando um casal de amigos, que foi para lá em 2011 (e que me conhece super bem, e no gosto de quem eu confio), voltou fazendo muita propaganda. Como eles tinham planos de voltar em 2015, eu me organizei, juntei o dinheiro e fui junto.

E percebi algo muito interessante: é impossível saber o quanto os parques da Disney são incríveis sem nunca ter ido lá – mesmo que alguém tente descrever para você em detalhes, mostrar fotos e vídeos, jurar que é o lugar mais legal do mundo (os da Universal e os demais parques de Orlando também entram nessa, é claro, mas ainda acho que os da Disney ganham em matéria de “encantar” os visitantes). Quando eu dizia para alguém que nunca esteve em Orlando que estava de viagem marcada para lá, a reação ficava próxima de “ah, que legal”. Quando eu contava a mesma coisa para alguém que já havia ido a Orlando, a reação era uma coisa mais “caraaaamba, que inveja! você vai amar! eu não vejo a hora de ir para lá de novo! sério, aproveita muito!”. Juro: você só vai saber de verdade como é quando estiver lá.

Como eu já falei, esse é um texto extremamente pessoal – eu não vejo outra maneira de tentar responder ou explicar minha posição quanto a essa pergunta, justamente por ela ser, também, muito pessoal. Mas há alguns pontos em comum que eu identifico tanto na minha experiência particular com Orlando quanto na experiência de outras pessoas que já vi por lá e com quem já conversei.

O primeiro deles é muito simples: Orlando tem sim atrações para todos os gostos, idades e perfis – e não tem essa de já ser “adulto demais” para as atrações que a cidade oferece. Existem parques (como o Legoland) ou áreas específicas dentro de parques que são especialmente dedicadas às crianças, é claro – mas também há opções mais radicais na maioria dos parques (e lugares como o Busch Gardens, voltados quase exclusivamente aos apaixonados por adrenalina), inclusive atrações onde a altura mínima nem permite a entrada de crianças. Há parques aquáticos, há atrações para famílias ou grupos de amigos, há até mesmo opções que são melhor aproveitadas por visitantes que estiverem sozinhos. Há shows, lojas, restaurantes, zoológicos, exposições, festivais (de artes, de gastronomia, de vinhos) – e, pensando na cidade como um todo, não faltam outras opções de entretenimento, como cinemas, bares, baladas. E há um cuidado para tornar as atrações acessíveis para todos: crianças, idosos, pessoas com necessidades especiais ou dificuldades de locomoção; todos têm acesso a recursos que facilitam o passeio e melhoram a experiência como um todo.

Photo by Rod Long on Unsplash

Mas, muito mais importante que isso, é o fato de que todo mundo entra na fantasia em Orlando – e isso independe de idade. Sabe uma coisa que eu adoro fazer no Beco Diagonal, área temática de Harry Potter no parque Universal Studios? É ficar perto da entrada, observando a expressão no rosto de quem bota os pés ali pela primeira vez: todo mundo sorri grande, todo mundo tem os olhos brilhando conforme absorve cada detalhe daquela rua mágica (com o icônico dragão lá no fundo, encarapitado no topo do prédio de Gringotes), todo mundo solta exclamações de surpresa e felicidade, e muitos choram – porque todo mundo (os fãs de Harry Potter principalmente, é claro) de fato se sente no Beco Diagonal, sem ficar pensando que aquilo é só um cenário artificial, montado em um cantinho de um parque de diversões nos Estados Unidos.

Eu já vi muito marmanjo chorando ao conhecer e abraçar seu personagem favorito – sem deixar que a racionalidade “adulta” atrapalhe ao sussurrar no ouvido que aquilo é só um funcionário fantasiado. E as reações dos guests no final da jornada no simulador Flight of Passage, que faz os visitantes voarem pelo mundo de Pandora nas costas de um banshee? As pessoas parecem achar mais difícil acreditar que, durante aquele tempo todo, estavam na realidade sentadas em uma espécie de bicicleta esquisita numa sala fechada! É clichê dizer isso, mas você vai sim voltar a ser criança nos parques de Orlando: vai usar orelhinhas do Mickey, gastar dinheiro em uma varinha mágica, gritar nas montanhas-russas e chorar durante os shows. E vai amar cada segundo disso tudo.

E, para completar, a qualidade de tudo (atrações, shows, comida, produtos, interações com personagens) é pensada nos mínimos detalhes – e o atendimento é quase sempre positivamente impressionante. Digo “quase” porque, óbvio, sempre haverá exceções – é claro que você sempre vai encontrar quem tenha uma história trágica de Orlando para contar, mas isso é muito mais porque as pessoas parecem gostar de contar esse tipo de história: as experiências negativas com qualidade e atendimento (especialmente nos parques da Disney, famosa por seu cuidado com esses aspectos) são sim minoria. Na maior parte do tempo, eu me sinto nada menos que mimada nos parques temáticos de Orlando – e tenho, guardadas com carinho na minha memória, cinco ou seis histórias de momentos que foram transformados em experiências simplesmente mágicas pela dedicação extra de um Cast Member, os funcionários da Disney. Foram esses momentos que eu tentei recriar, agora para outras pessoas, no período que passei trabalhando lá.

É evidente que, na minha opinião, ir à Disney (ou a Orlando) vale sim a pena – vale MUITO a pena. Mas, pensando um pouco além da minha própria opinião, eu tentei reunir aqui pontos que eu acho que fazem todo mundo se divertir muito em uma viagem à cidade – lembrando que o mais importante é o segundo, o fato de que todo mundo “entra na fantasia” quando está por lá. Se você tem o dinheiro para investir (ou está pensando em economizar o valor necessário) e está em dúvida se vai ou não, eu voto sim – mesmo sem conhecer você e seu perfil. Orlando tem espaço para todo mundo.

Se ainda tiver dúvidas e quiser saber mais, eu recomendo que você navegue pelos outros posts aqui do site – que também podem ajudar muito quem já estiver na etapa de organização da viagem! Aqui, por exemplo, você confere um resumo do que vai encontrar em cada um dos parques de Orlando. E, aqui, pode responder um quiz divertido para descobrir qual é o seu Perfil de Viajante quando o assunto é Disney e Orlando. 😉 Nossa ideia é justamente ajudar quem estiver pensando em viver esse sonho. Boa sorte!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.