Qual é a melhor época para ir à Disney?

Antes de tudo, é bom se perguntar: qual é a sua definição de “melhor”?

Qual é a melhor época para viajar à Orlando? Essa é uma pergunta que eu ouço muito – e a dificuldade da resposta, na verdade, começa na subjetividade da pergunta: qual é a sua definição de “melhor”? A sua “melhor época” é a mais barata? A que tem menos filas? Ou, pelo contrário, é justamente a mais badalada, com eventos marcantes e concorridos? É a época de clima mais ameno? Ou você quer mais é pegar calorão e se jogar nas piscinas dos parques aquáticos? É a época da sua data comemorativa favorita do ano – Natal, Halloween? Ou é a mais econômica?

epcot

Só você, claro, pode responder a essa perguntas – cada viajante e cada grupo vai ter diferentes necessidades e prioridades. Por exemplo, se você já foi a Orlando diversas vezes, pode decidir abrir mão de ter tempo para explorar os parques em detalhes e priorizar uma vaga na festa de Natal do Magic Kingdom – mas, se é sua primeira vez na cidade, pode considerar essencial driblar as filas, para visitar o maior número possível de rides e shows no período em que estiver por lá.

Para ajudar você a decidir, criamos este post com alguns fatores que você deve levar em consideração; como lotação da cidade e dos parques (dado que também influencia bastante nos preços de cada data, de passagens a hospedagens), clima, feriados e eventos especiais. Leia tudo com atenção e depois bote na balança: do que você não abre mão na sua viagem? Então vamos lá!

Lotação dos parques

De modo geral, os parques de Orlando, especialmente os da Universal e ainda mais os da Disney, são cheios o ano todo: um dia de parque “vazio” é aquele em que você vai passar menos tempo em filas, mas esse “menos tempo” pode tranquilamente chegar a 40 ou 50 minutos mesmo assim, em atrações mais novas ou populares! A questão é que o tempo em filas chega a ser assustador em determinadas épocas do ano, podendo chegar a mais de quatro horas – sim, isso para uma atração. E, claro, também é importante lembrar da lei da oferta e demanda: semanas e dias mais cheios, não por acaso, também costumam ser semanas e dias mais caros, em termos de passagens aéreas, hospedagens, e, em alguns casos, até mesmo do preço dos ingressos.

Qual é o seu perfil de viajante Orlando/Disney? Photo by Amy Humphries on Unsplash

De modo bem resumido: os períodos mais lotados são as duas primeiras semanas de janeiro (por causa dos turistas que vão passar o Natal e o Ano-Novo e acabam esticando um pouquinho, além do fato de ser férias de verão no Brasil); todo o mês de março e começo de abril (em consequência do Spring Break, férias de uma semana que são concedidas em datas diferentes por diferentes escolas e universidades norte-americanas); os meses de junho, julho e as duas primeiras semanas de agosto (por causa das férias de verão nos Estados Unidos, que em julho ainda acabam coincidindo com as férias escolares de meio do ano do Brasil – isso sem contar o feriado nacional norte-americano de 4 de julho!); a última semana de novembro (por causa do feriado de Ação de Graças); e todo o mês de dezembro (com alguns poucos dias de folga na primeira semana do mês), com pico de movimento nos dias entre o Natal e o Ano-Novo (alguns parques chegam a atingir lotação máxima e literalmente fechar os portões antes do meio-dia!).

Também de modo bem resumido, os períodos mais tranquilos são a última semana de janeiro e as duas primeiras de fevereiro (quando os norte-americanos já foram embora – as passagens podem continuar meio caras, porque ainda é férias de verão no Brasil); a última semana de abril (depois do Spring Break norte-americano); quase todo o mês de maio (exceto a última semana, por causa do feriado do Memorial Day); a última semana de agosto (depois do fim das férias de verão norte-americanas); os meses de setembro e outubro (especialmente setembro, que é, junto de maio, um dos dois meses mais vazios nos parques no ano inteiro); as duas primeiras semanas de novembro; e a primeira semana de dezembro (mas só o comecinho do mês mesmo!).

Como vimos, além de levar em conta os períodos de férias aqui do Brasil, é importantíssimo (talvez até mais!) considerar os períodos de férias e Spring Break norte-americanos – e também as datas que são feriados nacionais por lá; que às vezes podem até não comprometer uma semana de viagem como um todo, mas lotar os parques em dias específicos (nesse caso, melhor programar outros passeios para essas datas, e voltar aos parques uma vez passado o feriado).

Preços de passagens, ingressos e hospedagem

Caso você tenha pulado o primeiro item, vale reforçar – de modo geral, as épocas mais econômicas para viajar a Orlando são também aquelas menos lotadas: períodos que não correspondam a férias escolares, de faculdades ou de verão no Brasil (no caso das passagens aéreas); que não incluam feriados nacionais norte-americanos (no caso dos ingressos ou da hospedagem) ou brasileiros (no caso das passagens aéreas); que não coincidam com datas comemorativas populares, como o Halloween (caso da hospedagem e dos ingressos dos parques) ou Natal (tudo fica mais caro nessa época). E, sim, os preços dos ingressos dos parques da Disney são dinâmicos, ou seja, variam conforme a data! Se você tiver flexibilidade para viajar quando quiser, selecionar um período que não inclua nada disso (como os meses de maio ou setembro) pode garantir, de uma tacada só, menos filas e mais economia.

Avião - Photo by Ross Parmly on Unsplash

Clima

É claro que Orlando não é uma Nova York em termos de frio – mas a temperatura cai sim nos meses do inverno, e, dependendo da data e da hora do dia, pode cair bastante! A temperatura entre dezembro e fevereiro fica em torno de 15°C, 16°C; mas eu cheguei a pegar vários dias seguidos de menos de 5°C em janeiro de 2018 (ano em que o frio pegou todo mundo de surpresa)! É importante lembrar que os parques aquáticos e muitas atrações com água, que molham os visitantes, ficam fechadas nesta época, então não se decepcione caso viaje em janeiro ou fevereiro e não possa visitar parques como o Typhoon Lagoon ou o Volcano Bay.

A temperatura fica amena e mais agradável de março a maio (de 18°C a 24°C), começando a esquentar por volta de junho – julho e agosto são meses bem quentes, com a temperatura batendo ou beirando os 30°C! A umidade também é alta, o que pode ser uma combinação desagradável para quem não curte calor. Em setembro e outubro a temperatura volta a amainar; e novembro costuma ser agradável (mas também pode ser imprevisível; com aqueles dias típicos de outono, em que é possível sentir frio de manhã e morrer de calor à tarde).

buschgardens

Também há outro fator a ser levado em conta: junho, julho, agosto e setembro são os meses mais chuvosos – e pode ser meio chato ter que encarar vários dias seguidos de chuva em plenas férias, ainda mais quando a maioria dos passeios programados é ao ar livre. A temporada também é de furacões no Caribe, o que pode definitivamente estragar sua viagem se você der azar. Mas a sugestão aqui não é riscar esses meses da lista por causa disso, e sim ficar atento: se você estiver considerando esse intervalo de tempo para suas férias, pesquise, se informe, veja como anda a previsão de tempestades para o ano. Nem a chuva é regra, muito menos os furacões: em setembro de 2015, eu passei dez abençoados dias na Flórida, todos ensolarados – rolou só um chuvisco assim que chegamos no aeroporto de Miami, e foi só! No fim da viagem, deu até para pegar praia em Key West.

Eventos especiais

A maioria dos parques de Orlando realiza eventos especiais ao longo do ano – os da Disney são especialmente famosos. Essas ocasiões, é claro, precisam ser levadas em conta no planejamento da sua viagem: tanto no lado positivo, caso você faça questão de aproveitar algum deles e queira marcar sua visita exatamente para as datas em que o evento estiver rolando; quanto no lado negativo, ou seja, caso você não queira participar dos eventos – e aí pretenda fugir desses dias, em que os parques podem estar mais cheios ou até fechar mais cedo para os não-participantes!

Em janeiro, por exemplo, os parques da Disney recebem sua Maratona, que é exatamente isso: uma prova de corrida que passa por diversos lugares do Walt Disney World, e em cujo trajeto os participantes podem encontrar personagens raros. No Epcot, entre janeiro e fevereiro, rola o International Festival of the Arts, que deixa o parque lindíssimo e cheio de intervenções artísticas – e um pouco mais lotado nos finais de semana, já que os moradores de Orlando aproveitam para ir conferir. Na Universal, na última semana de janeiro, rola a Celebration of Harry Potter, evento que reúne fãs da saga (e, geralmente, presenças ilustres, como dos atores que fizeram parte do elenco da adaptação cinematográfica) – e deixa os parques bem mais cheios que o normal. De fevereiro a abril, a Universal realiza o seu Mardi Gras, uma comemoração de Carnaval, que normalmente não impacta tanto assim o movimento nos parques; e, em fevereiro, a Disney costuma fazer sua Princess Half Marathon, uma de suas muitas meias-maratonas.

The Wizarding World of Harry Potter - Universal Orlando - Hogwarts - Photo by James & Carol Lee on Unsplash

De março a junho, o Epcot recebe o Flower & Garden Festival, que, como os outros festivais realizados no parque, pode aumentar um pouco o movimento nos finais-de-semana (e, lembre-se, março e abril já coincidem com os meses de Spring Break!); e, em abril, a Disney sedia mais uma meia-maratona, a Star Wars Half-Dark Side. A partir de junho começam as celebrações noturnas de verão, as Summer Nights, no Busch Gardens e no Sea World. Por volta de julho e agosto, durante as férias de verão nos Estados Unidos e as férias de meio do ano aqui do Brasil, é comum ver muitos funcionários brasileiros circulando pelos parques da Disney, fenômeno que se repete entre dezembro e fevereiro: esse pessoal é contratado justamente pra dar uma força nessas épocas de lotação extrema, e pode ser uma mão na roda pra quem não fala inglês!

Em setembro começa mais um dos festivais do Epcot, o delicioso Food & Wine Festival, que vai até novembro – mas a característica mais marcante do mês é o início das festas de Halloween, que, claro, se estendem ao longo do mês de outubro: o Sea World tem a Halloween Spooktacular, o Busch Gardens tem a Howl-o-Scream, a Universal tem a Halloween Horror Nights (que é de dar medo MESMO – não vá se você não curte terror e levar alguns sustos), e a Disney tem a Mickey’s Not-So-Scary Halloween Party (que, como diz o nome, é mais familiar e fofinha; com desfile temático, distribuição de doces e presença de personagens raros). Importante: a Not-So-Scary é realizada no Magic Kingdom, a partir do fim da tarde/começo da noite, mas exige um ingresso separado do ingresso normal do parque – se você estiver no parque no horário do início da festa e não tiver esse ingresso, vai ser gentilmente “convidado a se retirar”. Ou seja: quem não pretende participar das festas (e pagar esse ingresso “extra”) faz bem em evitar o Magic Kingdom nos dias de comemoração.

Novembro tem mais uma das meias-maratonas da Disney, a Wine & Dine 1/2 Marathon Weekend – e, mais importante, as primeiras datas da Mickey’s Very Merry Christmas Party, que se estende ao longo de dezembro: o esquema aqui é o mesmo da festa de Halloween; tanto na realização de desfiles temáticos e na presença de personagens raros quanto na exigência de um ingresso especial para participar da festa – e no “fechamento” mais cedo do parque para quem não tiver o ingresso. A Disney também espalha comemorações de Natal por outros de seus parques, como o Candlelight Processional, no Epcot; um show com coral com canções natalinas típicas (e apresentadores ilustres, como cantores e atores famosos). A Universal faz a Macy’s Holiday Parade e o Grinchmas, o Natal do Grinch; o Busch Gardens tem sua Christmas Town; e o Sea World, a Christmas Celebration – norte-americanos não brincam em serviço quando o assunto é Natal: eles são apaixonados pela data.

animalkingdom

E mais um detalhe sobre as épocas comemorativas: tem quem curta estar nos parques, por exemplo, na época do Halloween, simplesmente por causa da decoração, mesmo se não pretender curtir a festa em si – na época do Natal, claro, os parques também ficam lindos (e nessas datas também rolam algumas outras coisas extras, como docinhos ou bebidas especiais, e muito merchandising exclusivo da época à venda)! Então, se você é apaixonado por algum desses feriados, lembre-se de que pode curtir Orlando com uma cara mais “temática” mesmo sem necessariamente comprar os ingressos para os eventos especiais.

Gostou? ❤ Leia mais sobre todos os parques de Orlando aqui – e veja aqui uma lista com todos os investimentos que você precisa levar em conta na hora de planejar sua viagem! Ainda está em dúvida se a viagem a Orlando vale a pena? Leia uma opinião sobre essa questão aqui! 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.