Tudo sobre o Magic Kingdom – parte I: história, lands e principais atrações

Embora a Disneyland seja mais antiga, o Magic Kingdom é “o parque da Disney” por excelência. Vai dizer que não é no Castelo da Cinderela que você pensa quando se imagina visitando “a Disney”? Inaugurado na Flórida no dia 1º de outubro de 1971, o Magic Kingdom marca também o ponto inicial do Walt Disney World, maior resort da Disney no mundo; que, com o passar dos anos, ganhou mais três parques temáticos (Epcot, Hollywood Studios e Animal Kingdom) e dois aquáticos (Typhoon Lagoon e Blizzard Beach).

Mesmo não sendo o maior parque da Disney, o Magic Kingdom é o parque temático mais visitado do mundo
Mesmo não sendo o maior parque da Disney, o Magic Kingdom é o parque temático mais visitado do mundo

Mesmo não sendo o maior parque da Disney, ele é o parque temático mais visitado do mundo (em 2019, foram mais de 20 milhões de visitantes; o que garantiu esse título ao MK pelo 13º ano consecutivo); e um dos que que (assim como a Disneyland) tem o maior número de atrações consideradas “clássicas”, que estão por lá desde a inauguração do parque e/ou foram criadas por Walt Disney em pessoa.

Na verdade, o Magic Kingdom não é nem o maior parque do Walt Disney World! Ele perde em tamanho para o Epcot e o Animal Kingdom – mas é tão cheio de rides (ou “brinquedos”, como chamamos aqui no Brasil), shows e outras coisas para fazer que parece muito maior! Pode reparar como, no Epcot ou no Animal Kingdom, os guests caminham um monte entre uma atração e outra, já que há bastante espaço vazio – o Magic Kingdom é bem mais “lotado”.

No texto abaixo, vamos contar um pouco mais sobre o Magic Kingdom – começando por sua história, construção e inauguração; e aí falando um pouco sobre a divisão espacial do parque e as principais atrações e restaurantes de cada land. No segundo post sobre o Magic Kingdom, que vamos publicar nos próximos dias, falaremos sobre shows, desfiles, curiosidades e os tais “túneis secretos” do parque. Foi no Magic Kingdom que eu trabalhei durante meu período como Cast Member, então tive a oportunidade de aprender muito sobre este que é meu parque favorito da Disney. ❤

A história do Magic Kingdom

O Magic Kingdom foi concebido como uma versão “maior e melhorada” da Disneyland, primeiro parque da Disney no mundo, inaugurado em Anaheim, Califórnia, em 1955 – tanto que suas lands e boa parte de suas atrações são novas versões daquelas já encontradas na Disneyland. Walt Disney esteve diretamente envolvido na concepção da expansão dos parques da Disney, agora na Flórida (o projeto era chamado de “Florida Project”); mas, infelizmente, morreu antes que o parque fosse construído. 😦 Disney morreu em 1966, e o Magic Kingdom começou a ser construído no ano seguinte.

Das vinte e três atrações com as quais o Magic Kingdom contava no dia de sua inauguração, vinte eram réplicas de atrações da Disneyland. Havis seis lands; sendo cinco réplicas das landas da Disneyland (Main Street U.S.A., Fantasyland, Tomorrowland, Adventureland e Frontierland), mais a Liberty Square, exclusiva do Magic Kingdom. Em 1988, o parque ganhou uma nova área, a Mickey’s Birthland, para comemorar o 60º aniversário de Mickey Mouse. A área foi rebatizada de Mickey’s Starland e depois Mickey’s Toontown Fair; mas foi fechada em 1991, para dar espaço para a Storybook Circus, uma nova expansão da Fantasyland.

Divisão e lands do Magic Kindgom

O Magic Kingdom é dividido em seis áreas temáticas, ou “lands”: cada uma delas tem uma atmosfera própria, uma estética própria, e mesmo uma música própria; com atrações e personagens correspondentes. Se você olhar o mapa do Magic Kingdom, verá que ele é organizado como uma roda; com o centro sendo a área em frente ao Castelo da Cinderela. Essa área é ligada por pontes a quatro das lands (Fantasyland, Tomorrowland, Adventureland e Liberty Square). A Frontierland é acessível por meio da Liberty Square ou da Adventureland; e a Main Street U.S.A. é a área na entrada do parque, conectando os portões do local ao Castelo da Cinderela.

Main Street U.S.A.

A Main Street U.S.A. entrega sua inspiração no nome, algo como “rua principal dos Estados Unidos”: ela representa como a maioria das ruas centrais das pequenas cidades dos Estados Unidos se pareciam no início do século XX, época da infância de Walt Disney. A rua é ladeada por pequenos prédios, a maioria desenhados como se fossem pequenos negócios; quase todos fictícios – dentro das construções, é possível encontrar diversas lojas que vendem merchandise e comida; que vão desde a famosa Emporium (a maior loja encontrada dentro de um parque da Disney em todo o mundo) até uma moderna Starbucks. Nas janelas superiores dos edifícios, é possível ver nomes de diversas pessoas que foram importantes para a história do Magic Kingdom – inclusive o do próprio Walt Disney, sobre a sorveteria Ice Cream Parlour, com vista para o Castelo da Cinderela; e o de seu irmão Roy O. Disney, em uma janela voltada para a entrada do parque, sobre a The Main Street Confectionary.

Outras lojas e utilidades encontradas na região incluem o escritório de Guest Relations (dentro do prédio nomeado “City Hall”), onde cast members podem ajudar com todo tipo de informação e resolução de problemas; uma barberia/cabelereiro que funciona de verdade!; o Tony’s Town Square Restaurant, inspirado em A Dama e o Vagabundo; a Casey’s Corner, lanchonete que vende cachorro-quentes e batatas fritas; a confeitaria The Main Street Confectionery; o Town Square Theater, onde os guests podem tirar fotos com Mickey Mouse e Sininho; e uma das estações da Walt Disney World Railroad, o trem que transporta os guests pelo parque (e que conta com paradas também na Frontierland e na Fantasyland, mais especificamente na área Storybook Circus).

É também nessa área que é possível encontrar duas estátuas que eu amo: a estátua Partners, que retrata Walt Disney e Mickey Mouse de mãos dadas em frente ao Castelo da Cinderela; e a Sharing the Magic, no centro da Town Square, com Roy O. Disney e Minnie Mouse sentados no mesmo banco, conversando. As duas me deixam super emocionada. ❤

Outra curiosidade: na Main Street da Disneyland da Califórnia, há um pequeno apartamento sobre a estação de bombeiros, que costumava servir de escritório para Walt Disney. Depois da morte do criador da companhia, uma vela fica sempre acesa na janela do escritório, em sua homenagem. Walt Disney nunca chegou a conhecer o Magic Kingdom, mas, sobre a estação de bombeiros do parque, à esquerda de quem entra no local, também há uma janela – com uma vela permanentemente acesa ali. ❤

Tomorrowland

A primeira land à direita de quem chega em frente ao Castelo da Cinderela vindo da Main Street U.S.A. é a Tomorrowland – uma área que geralmente é um caso de amor ou ódio entre os Disney freaks. Acontece que a Tomorrowland foi construída para ser futurista – ou melhor, como, no começo dos anos 1970, se imaginava que o futuro poderia vir a ser. Ou seja, com o passar dos anos, ela acabou virando aquela coisa “retrô-futurista”, meio Os Jetsons, sabe? Cheia de clichês sobre viagens espaciais e tecnologias que jamais viraram realidade… Mas, para muita gente, é justamente aí que está o charme da Tomorrowland. Depende muito do seu gosto pessoal.

Detalhe próximo à entrada do Buzz Lightyear's Space Ranger Spin
Detalhe próximo à entrada do Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin

As atrações mais antigas ainda existentes da Tomorrowland são o Carousel of Progress, um teatro com bonecos que foi considerado inovador na época (já que o que gira é a área onde o público fica sentado, e não o palco; permitindo que os visitantes vejam os diferentes cenários em diferentes momentos) e que tem uma música que fica grudada na cabeça por horas (“there’s a great big beautiful tomorrow shining at the end of every day…”); e a Space Mountain, montanha-russa fechada e no escuro, com tema espacial, que é, até hoje, uma das atrações mais populares do parque (vale usar um dos seus FastPass+ com ela)!

O Peoplemover (um trenzinho calmo com o qual é possível dar uma volta por toda a Tomorrowland, inclusive passando por dentro de algumas das outras atrações) também abriu em 1975, mesmo ano do Carousel of Progress e da Space Mountain, apenas alguns meses depois. Algo interessante é que só por meio do Peoplemover é possível ver um pedacinho de uma maquete usada por Walt Disney para representar sua Experimental Prototype Community of Tomorrow, projeto que daria origem a outro parque: o Epcot.

Outras atrações são a Astro Orbiter (uma versão diferente daquele brinquedo popular do Dumbo, para crianças, que existe em tantos parques ao redor do mundo), o Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin (brinquedo inspirado em Toy Story, em que os guests precisam acertar alvos em movimento com “armas” laser), o Monsters Inc. Laugh Floor (um show de stand-up comedy com os personagens de Monstros S.A.) e a Tomorrowland Speedway (uma pista de carros, também mais voltada às crianças). Atualmente, está em construção no local a Tron Lightcycle Run, montanha-russa inspirada no filme Tron, que deve dar um belo up para a Tomorrowland. 😉

Na Tomorrowland você encontra a lanchonete Cosmic Ray’s Starlight Café (que, durante meu treinamento na Disney, nos foi apresentada como a mais movimentada do país =O) e o restaurante Tomorrowland Terrace Cafe, onde é possível jantar com uma vista privilegiada dos fogos sobre o Castelo da Cinderela.

Fantasyland

Seguindo em sentido anti-horário, a próxima é a Fantasyland. Se o Magic Kingdom é o parque “mais Disney”, pode acreditar que a Fantasyland é a área “mais Magic Kingdom”! O tema aqui são princesas, príncipes, contos de fadas e encantamento; tudo muito inspirado nos próprios clássicos da companhia. A área passou por uma expansão entre 2010 e 2014, e hoje conta com dez atrações principais: uma amiga que trabalhou comigo na Disney brinca que, depois de você ir a todas as atrações da Fantasyland, ainda restam umas oito para visitar, haha.

A própria Fantasyland é subdividida em outras áreas. Uma delas é a Castle Courtyard, logo atrás do Castelo da Cinderela; onde é possível encontrar o cinema 4D Mickey’s PhilharMagic; o Prince Charming Regal Carrousel; o Princess Fairytale Hall (um ponto de encontro onde é possível conhecer princesas como Cinderela, Tiana, Rapunzel e Aurora); It’s a Small World (uma das atrações mais antigas e clássicas da Disney – e que também conta com uma musiquinha grudenta…); e a ride Peter Pan’s Flight (outra atração concorridíssima: recomendo usar um de seus FastPass+ nela).

Detalhe na entrada do restaurante Be Our Guest
Detalhe na entrada do restaurante Be Our Guest

Outra parte da Fantasyland é a Enchanted Forest; que conta com uma área dedicada a A Bela e a Fera (com o restaurante Be Our Guest, lindíssimo; a atração Enchanted Tales With Belle, que conta com a presença de Bela “em pessoa” no final, inclusive para fotos; e a Gaston’s Tavern) e outra a A Pequena Sereia (com a ride Under the Sea: Journey of the Little Mermaid e um ponto de encontro para fotos com Ariel) – além da super popular montanha-russa Seven Dwarfs Mine Train, que abriu em 2014 (FastPass+ obrigatório aqui!). Outras atrações dessa área são a Mad Tea Party (aquela das xícaras que giram loucamente; reproduzida em muitos parques de diversão em todo o mundo) e a ride infantil The Many Adventures of Winnie the Pooh.

Por fim, temos a já citada Storybook Circus; mais infantil – temática, é claro, do mundo do circo: aqui é possível encontrar a clássica atração Dumbo the Flying Elephant, a montanha-russa The Barnstormer (que é bem curtinha – não vale a fila), espaço para fotos com personagens como Pateta, Donald, Margarida, Minnie e Pluto (em “encarnações” circenses), e outra estação da Walt Disney World Railroad.

Em matéria de restaurante, o grande xodó da Fantasyland – além do já citado Be Our Guest – é o Cinderella’s Royal Table, onde é possível encontrar diversas princesas da Disney, como a própria Cinderela, além de Aurora, Ariel e Branca de Neve. Uma opção mais rápida, sem necessidade de reserva, é a Pinocchio Village Haus, com vista para o interior da atração It’s a Small World.

Liberty Square

Pequenininha e com poucas atrações, a Liberty Square passa despercebida por muita gente – mas eu adoro a atmosfera dessa land! Sem contar que a Haunted Mansion, minha atração favorita da Disney inteirinha, fica nela. ❤ A inspiração para a Libery Square é os Estados Unidos do século XVIII, principalmente na época da Guerra de Independência dos Estados Unidos. Assim como a Frontierland, a Libery Square tem uma de suas bordas no Rivers of America, lago por onde é possível passear a bordo do barco Liberty Belle. Boa parte das atrações da Liberty Square segue o tema da celebração da história do país, como o Hall of Presidents e o show The Muppets Present… Great Moments in American History.

Diferentes aspectos da arquitetura dos prédios da área homenageiam cada umas das 13 colônias originais do país. Ah – se você caminhar da Haunted Mansion até o outro extremo da Frontierland, vai estar fazendo uma “viagem arquitetônica” tanto geográfica quanto temporal pelos Estados Unidos: a Haunted Mansion é inspirada no estilo das mansões do Estado de Nova York por volta do ano 1770, e a Big Thunder Mountain Railroad, no finalzinho da Frontierland, é inspirada no sul da Califórnia dos anos 1880.

A Haunted Mansion é uma das atrações mais clássicas da Disney
A Haunted Mansion é uma das atrações mais clássicas da Disney

Como eu já disse, eu AMO a Haunted Mansion, um “trem-fantasma” que é mais divertido que assustador – e tão cheio de easter eggs e referências que rende um post próprio: prometo fazer algum dia! Essa atração é uma das mais clássicas da Disney, criada por Walt Disney em pessoa. Em dias de parque mais cheio, a fila da Haunted pode ficar bem grandinha: se você não tiver conseguido reservar seu FastPass+ para a Seven Dwarfs Mine Train e/ou a Peter Pan’s Flight, ou não pretender ir a alguma dessas rides, a Haunted Mansion é uma boa opção (e essa dica também vale para a Pirates of the Caribbean, na Adventureland).

Além da Haunted Mansion, outra coisa que eu amo na Liberty Square é a comida: não deixe de dar uma paradinha na Sleepy Hollow, para comer o waffle sandwich ou o famoso funnel cake, e, se estiver frio, tomar um chocolate quente! No Liberty Square Marquet você também encontra outro snack famoso da Disney: a enorme turkey leg. Os restaurantes da área são o Columbia Harbour House e o Liberty Tree Tavern.

Frontierland

Temática das histórias romantizadas sobre cowboys e faroeste, a Frontierland conta com duas atrações bastante populares: a montanha-russa Big Thunder Mountain Railroad e a ride aquática Splash Mountain (não é uma má ideia usar seus FastPass+ em alguma dessas duas atrações). Além disso, a área tem mais uma das estações da Walt Disney World Railroad; a Tom Sawyer Island (uma ilha dentro do lago Rivers of America; espaço que pode ser divertido para crianças explorarem); estandes de tiro ao alvo (pagos à parte); e o show Country Bear Jamboree – um clássico nos moldes do Enchanted Tiki Room, da Adventureland, com animatrônicos apresentando um show musical: há quem ame, há quem deteste com todas as forças.

A Big Thunder Mountain Railroad, localizada na Frontierland, é uma atração bastante popular do Magic Kingdom
A Big Thunder Mountain Railroad, localizada na Frontierland, é uma atração bastante popular do Magic Kingdom

Um dos meus restaurantes favoritos da Disney, o Pecos Bill Tall Tale Inn & Café, fica nesta área, e serve comida mexicana e texana. A Frontierland também é um ótimo lugar de onde assistir ao desfile diurno Festival of Fantasy; muito menos lotada para isso do que a Main Street U.S.A. ou a área em volta do Castelo da Cinderela. Recomendo! 😉

Adventureland

A Adventureland era minha casinha quando eu fui cast member: trabalhei no ATT, que reúne as atrações The Magic Carpets of Aladdin, Swiss Family Treehouse e The Enchanted Tiki Room. ❤ O tema principal desta área são aventuras por terras exóticas e distantes, principalmente como retratadas em livros e filmes dos anos 1930 – e do ponto de vista de um norte-americano; claro, haha. Diferentes atrações são temáticas de diferentes lugares ou histórias; mas, de modo geral, a Adventureland se divide em Arabian Village e Caribbean Plaza. É bem difícil ver o Castelo da Cinderela da Adventureland: a Disney tentou cobrir a vista com árvores ou construções, para que o castelo, com cara de conto de fadas, não destoasse da “vibe” da área.

A atração Pirates of the Caribbean inspirou a super popular série de filmes protagonizada por Johnny Depp
A atração Pirates of the Caribbean inspirou a super popular série de filmes protagonizada por Johnny Depp

Algumas atrações desta área são super antigas e clássicas: Jungle Cruise (passeio de barco que inspirou o filme que deve estrear ainda em 2020, se o coronavírus deixar), Pirates of the Caribbean (dispensa apresentações, né? hahaha. eu AMO essa atração – e a série de filmes também! <3), Swiss Family Treehouse (uma “walking attraction” que é uma casa gigante na árvore, também cheia de easter eggs) e The Enchanted Tiki Room (show com animatrônicos que representam pássaros tropicais). Outras atrações são a The Magic Carpets of Aladdin, mais uma versão do brinquedo do Dumbo; e o jogo interativo pirate’s Adventure: Treasures of Seven Seas.

Ah! Quando estiver pela Adventureland, não esqueça de provar o Dole Whip, sorvete tradicional da área, que é um dos snacks mais populares da Disney! Você encontra o Dole Whip no Aloha Isle, do ladinho do Tiki Room. 😉

Na segunda parte do nosso conteúdo sobre o Magic Kingdom, você pode conferir informações sobre os shows e parades do parque – além de algumas curiosidades. 😉 Não perca!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.